Pintura, um sentimento e uma emoção, para além da cor e forma


A pintura é um  jogo de cores, sombras e luzes, texturas, emoções, sentimentos, realidade e ilusão.
Uma tela é mais do que a obra de arte criada pelo artista, é muito mais do que a análise do critico e, certamente, mais do que o nosso olhar alcança. 
Uma pintura é uma mensagem, um sentimento e um estado de espírito de um artista, mas é também a interpretação de quem a olha e os sentimentos que lhe desperta.
Existem técnicas e regras para pintar, mas não existem regras, nem técnicas, para o sentimento que conduz à produção de uma obra de arte, nem para admirá-la ou senti-la.


 O ato da criação é sempre solitário, mas não é, ou não tem que ser, uma manifestação da solidão do artista, pois ele transporta dentro de si toda uma vida, toda uma miríade de sentimentos emoções, amores, ou raivas, sorrisos ou lágrimas, os quais transforma e reproduz, de forma mais realista ou abstrata, em harmonia com o seu estilo, gosto, tendência, escolha ou fase.



Porque amo o belo, a arte, os sentimentos e o ato da criação. Porque gosto da vida, da natureza e de todos os que constroem ou criam, contribuindo para a evolução, para a beleza, para o conhecimento ou para a elevação espiritual, partilho hoje convosco algumas telas de um amigo, Isidro Santos, um artista bem português e alentejano como eu, das quais gosto muito, sem no entanto ter quaisquer pretensões a ser uma grande conhecedora ou critica de arte.


No entanto, sei do que gosto e do que acho belo e é exatamente por isso que o quero partilhar, porque acho que não se deve guardar só para nós o belo, o criativo, o que nos faz deter o olhar, “sentir” um sentimento, crescer ou emocionar.


A cor, a mensagem e o sentimento também estão no olhar de cada um
















Mais cor para desfrutar


Detenham o olhar e deixem-se invadir pela cor, pela forma, pela mensagem ou pela emoção


Comentários

  1. Chegou a hora da fusão, a trilogia, "eu, o outro e o reconhecimento que me transcende". Parabéns. Que a sua pintura não desista querido amigo, o pintor Isidro Santos e que ela o confirme, cada vez mais, na qualidade de grande artista, sensível à vida e à partilha. Vejo na sua pintura transparência, generosidade e mutabilidade, todas as qualidades dum espelho. Umas vezes impulsiva, outras, matemática, percebo a sua obra como uma linguagem plástica que nos surpreende, revela e nos situa.

    Por definição, "o ofício" é transparente, é para SE ver, já que para além de ser "dado a ver", ele é também resultado duma VISÃO interna. Como toda a arte autêntica, esse "ofício" é vida e por isso se torna abundante e grato, a partir do momento em que o seu autor, nele inteiro, SE RECONHECE.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vou adorar ler os seus comentários....
Concorde, discorde, dê a sua opinião...
Volte sempre.
Bem-haja pela sua visita