Um Verão fora de época

Noites de calma, noites de calor.
O calendário diz-nos que é Outono, mas, a temperatura, que se faz sentir, torna claro que o Verão não quer partir.
Adoro o Verão. Gosto do sol e do calor, das roupas leves, frescas
 e coloridas.
Gosto de passear nas noites ao ritmo de uma conversa ligeira. Gosto de me deitar ao sol , sobre a areia macia, tendo como música de fundo a canção do mar Gosto do abraço das ondas frescas e insubmissas.



Gosto dos amanheceres e entardeceres no campo, onde a vida parece  suspender-se.
 
Mais do que a Primavera, o Verão está associado aos amores breves mas intensos, às descobertas, ao divertimento e à despreocupação.  


Este Outono, que afinal se revelou um novo e quente Verão, transmite-me um sinal de esperança, um sinal de que tudo é possível e de que nada está perdido.

Gosto de sinais e gosto de acreditar neles. Neste tempo de crise, este Verão alargado suavizou as expressões apreensivas, acalmou as iras e fez despontar nos nossos corações aquela réstia de esperança que dá animo e coragem, aos mais pessimistas, para empreender novas lutas, vencer novas batalhas e acreditar que tudo é possível se nos dedicarmos de alma e coração.

Comentários