Brumas Caminho

BRUMAS

sexta-feira, setembro 21, 2012Teresa Varela

Alongam-se-me as pestanas,
Cobrindo a minha face
Que se esconde de vergonha,
Impotente, perante o caos
E os meninos das barrigas grandes
E olhos imensos, desmesuradamente abertos,
Petrificados na espera vã.


Luto contra a covardia do não ver
E, lentamente,desvelo o olhar,
Cheio das sombras dos cílios imensos.
Uma bruma espessa obscurece-me a visão.
Figuras disformes contorcem-se nos meus olhos de água.

Cansaço, revolta, impotência
Sugam minha inesgotável energia.
Cansada das bocas que gritam,
Dos corações endurecidos,
Das almas inertes,
Que tudo vêem numa perspetiva invertida,
Como se seu cérebro houvesse perdido 
A inata capacidade de as reposicionar.

Fixo a Lua nos seus contornos vagos.
Seu halo de luz plagiada,
Transfigura-a, dando-lhe a grandiosidade falsa
Dos grandes mistificadores.

Detenho-me num pensamento.
Levito, sem peso.
Agora posso voar.
Junto a Pégaso,
O último cavalo alado,
Cruzo os céus.
Acompanhando seu passo cansado, 
Desenganado, na busca
Do mundo mítico,
Da maravilhosa Fantasia.


Escrevo no pó das estrelas,
Extintas há milhares de anos,
Os axiomas fundamentais da Vida.
Baloiço-me nos louros caracóis solares.
Acalentando a Esperança.

Encaro a Morte.
Olho-a nos olhos cheios da sabedoria
Das muitas vidas que guarda dentro de si.
Não a temo. Não a amo.
Respeito-a e ela a mim.

A força que me puxa para a Terra
É mais fraca do que as vozes
Que me chamam do céu.

Hesito.
É tão mais fácil voar
Do que carregar meu peso,
Sujeito à gravidade,
Na Terra que sangra de dor
Sem entender as incompreensiveis
Razões dos mortais.

Imobilizo o balançar do raio.
Silencio as Vozes.
O meu Tempo ainda não terminou.
Inspiro, 
Pestanejo longamente.
Limpo as lágrimas ferventes.
E, com firmeza,
Pouso os pés na terra.
Rasgo a armadura
E, de coração indefeso,
Dou, de novo, o primeiro passo
No Caminho que pinto
De todas as cores do Amor.

Também poderá gostar de ver

2 comentários

  1. Alguns poemas deixam marcas, e este, é um deles... também sinto-me mais afetada pelas vozes do céu do que pelas da terra... e amei a imagem da lua, com sua luz plagiada. Lindo de viver!

    ResponderEliminar
  2. Cansada? Revoltada? Impotente? Tem minhas mãos, irmiga, para seguirmos nessa jornada!
    Beijuuss n.a.
    P.S.: ainda acho muiiiito difícil acessar e comentar por aqui. Um dia aprendo!rsrsrs

    ResponderEliminar

Vou adorar ler os seus comentários....
Concorde, discorde, dê a sua opinião...
Volte sempre.
Bem-haja pela sua visita

Popular Posts

PUBLICAÇÃO EM DESTAQUE

PRÉMIOS DE FOTOGRAFIA - ANIMAIS SELVAGENS HILARIANTES - II

PARTE 2 DE 8 Não resisto a partilhar estas imagens fantásticas e divertidas do   "HILARIOUS WINNERS OF THE FIRST ANNUAL ‘COMEDY WI...

recent posts

MY GOOGLE+