Tempo; Cansaço; Silêncio

Dar Tempo ao Tempo

quarta-feira, maio 25, 2016Teresa Varela

Entre o Cansaço e o Silêncio é aquele momento em que decidimos parar.
Parar de intervir, parar de reclamar, parar de explicar, parar de comentar, parar de exigir, parar de preocupar, parar de ambicionar, parar de tentar fazer entender, parar de esperar que as coisas mudem, parar de incentivar, parar de questionar.
Entre o Cansaço e o Silêncio é aquele momento de pausa ou stand by.
É preciso fazer pausa para respirar profundamente, para deixar o pensamento divagar, em sonhos e quimeras, para relaxar, para retemperar as forças, para perceber que o mundo continua a girar sem a nossa intervenção, que não somos insubstituíveis, nem realmente necessários para ninguém, exceto para nós próprios.
Entre o Cansaço e o Silêncio é aquele momento em que aceitamos que o Tempo, esse grande Mestre, esse grande Sábio, se encarregará de colocar tudo na perspetiva correta.
Dar Tempo ao Tempo é aprender a esperar sem stress, sem pressão, sem ansiedade, sem recriminações, sem tentar inverter o rumo das coisas que, de facto, não dependem de nós.
Olho para o Mundo, por vezes, de olhos arregalados, pelo pasmo que me causam a estupidez e a maldade humana, os jogos de poder, o uso que se faz dos outros, quer na vida familiar, social e profissional, quer politica e financeiramente, onde os males causados se estendem a grandes grupos de seres humanos, quando não a toda a humanidade, à natureza e ao próprio Universo.
Mas, na verdade, eu apenas tenho acesso e capacidade para intervir num ínfimo pedaço desse Mundo que me rodeia e, mesmo assim, a minha intervenção pode apenas ter um efeito mínimo ou aproximar-se perigosamente de zero. 
Aconchego-me, portanto, na curva do espaço-tempo. Num tempo sem espaço, num espaço sem tempo.
Aí, uma redoma impenetrável me protege e, por um tempo, permanecerei quieta, em profundo silêncio, procurando não ver, não ouvir, nem sentir nada que perturbe o meu recolhimento, a minha paz, a minha ausência, sem desejos, sem anseios, sem revoltas, sem tristezas, sem sofrimento.

Também poderá gostar de ver

1 comentários

  1. Olá, Teresa. Um belo texto.
    Acho que esse tempo é o tempo que todos precisamos. Tempo de dar um tempo a nós mesmos, e também à vida, pois ela nos fala, e só a escutamos quando ficamos em silêncio...

    ResponderEliminar

Vou adorar ler os seus comentários....
Concorde, discorde, dê a sua opinião...
Volte sempre.
Bem-haja pela sua visita

Popular Posts

PUBLICAÇÃO EM DESTAQUE

PRÉMIOS DE FOTOGRAFIA - ANIMAIS SELVAGENS HILARIANTES - II

PARTE 2 DE 8 Não resisto a partilhar estas imagens fantásticas e divertidas do   "HILARIOUS WINNERS OF THE FIRST ANNUAL ‘COMEDY WI...

recent posts

MY GOOGLE+