Se

Se as palavras me bastassem,
Não precisaria do silêncio.

Se o amor me bastasse,
Não precisaria de sonhos.

Se  a sensatez me bastasse,
Não precisaria da paixão.

Se um lar me bastasse,
Não precisaria das estrelas.

Se o mar me bastasse,
Não precisaria das árvores.

Se a vida me corresse sempre docemente, 
Sem percalços, contratempos,
Dores ou sofrimento,
Nunca teria descoberto todo o meu potencial,
Nem a minha capacidade para começar de novo,
Encontrar novos caminhos ou soluções,
Amar ou valorizar as pequenas ou grandes coisas.

Se a vida não fosse processo,
Transformação, impermanência
E desafio,
Seria morna e sem graça,
Sem surpresas, sem paixão.

Se eu não me transcendesse,
Eu não seria eu,
Não teria dado fruto,
Não seria fonte de vida.

Comentários

  1. Gostei imenso do poema e revi nele uma boa parte da minha existência.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vou adorar ler os seus comentários....
Concorde, discorde, dê a sua opinião...
Volte sempre.
Bem-haja pela sua visita